sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Vamos "Cantar às Estrelas"?

Igreja Matriz (N. Sr.ª da Estrela)
Foi no ano 2000 que, estando a trabalhar na sala dos professores da minha escola, ao fim da tarde, ouvi pela primeira vez alguém dizer que, à noite, iam cantar às estrelas. Fiquei agradavelmente surpreendida. Coisa linda: cantar às estrelas...
Soube depois que se tratava da Festa de Nossa Senhora da Estrela, cuja imagem deixa por umas horas a Igreja Matriz e sai à rua, até à Câmara Municipal, onde o povo se reúne para a festejar.
Lembro-me que havia vários grupos que, juntando-se na Ribeira Seca, percorriam a Rua Direira (Rua El-rei D. Carlos I), tocando, cantando e recebendo presentes (comida e bebidas) de alguns dos moradores, enquanto se dirigiam aos Paços do Concelho. Aí se encontrava um palco, onde actuavam os grupos, filmados pela RTP Açores.
Penso que, pelas 5 horas da manhã se celebrava missa. Aliás, tenho a ideia de que a maior parte das missas das festas religiosas se celebravam a esta hora. Nunca percebi porquê. Ou melhor, tentei arranjar uma explicação: o hábito de, no passado, os agricultores estarem habituados a começar o trabalho muito cedo, mesmo nos dias que se seguiam às festas.

Nos dias seguintes (ou anteriores?), nalgumas aldeias e durante a noite, ouvia-se ao longe o canto difuso de grupos de cantadores. Receio estar a confundir e até agradeço que alguém me esclareça. Penso que esta festa "das estrelas" encerra o período natalício e, portanto, é mais lógico que esses cantares nocturnos se realizem entre o Natal (ou Ano Novo) até agora.

Lamento não ter conseguido encontrar as fotografias que tenho da festa para as poder pôr aqui.

Ficam estas que, apesar de não serem boas, dão uma ideia da cidade da Ribeira Grande, que acho muito bonita.

Para terminar, um recado para uma amiga (?) que, mazinha como as cobras, teve o desplante de me mandar, pelas 13h18m de hoje, a seguinte mensagem: "Aqui estou eu a comer uma malassada!".

Come agora outra, por mim, e canta "até que a voz te doa" às estrelas... Há lá coisa mais poética!...

Uma noite em grande para todos os ribeiragrandenses e visitantes!

9 comentários:

Moira Encantada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moira Encantada disse...

Era bom que se "importassem" tradições das ilhas, afinal tão portuguesas como Portugal, e aqui no continente, as tradições estão a ser chacinadas... De qualquer forma, também assinalei o dia: decretei o começo da Primavera!

beijinhos,

susana

LC disse...

No ano lectivo passado estive a dar aulas na Ribeira Grande. Povo muito caloroso! E os "Cantares às Estrelas" constituem uma tradição tão cheia de significado.

Porto e São Miguel, onde também já vivi.

Bem Haja!

emfrosa2 disse...

E as malassada que se vendiam no bar da escola, na altura chamada Gaspar Furtuoso?

Eu não queria outra coisa. Depois vieram os quilinhos.
Não vais acreditar mas agora até me "veio a água à boca"!

O Cantar às Estrelas era mesmo especial. Eu era uma felizarda, via passar os diferentes grupos no "camarote da minha varanda", mais uma vez o Café Cental estava em grande, era sempre o ponto de encontro.

Bons tempos.

emfrosa2

Elisabete disse...

São só saudades... de S. Miguel e das tradições.
Na realidade, só o nome... "cantar às estrelas" já lembra qualquer coisa de mágico. Não é?
Sabem que S. Miguel (e as suas lagoas)é considerado um dos "Lugares Mágicos de Portugal e Espanha", editado pela Ésquilo?
Mas isso eu já sabia e, se calhar, vocês também.
Beijinhos

LuCe disse...

Sim, as lendas das lagoas (em especial das Sete Cidades) têm um interesse e extraordinário. A seu tempo sairá um livro que abordará isso, a ser escrito há cerca de um ano - "A Tradição na Ilha Encantada de São Miguel".

Beijinhos.

Elisabete disse...

Luce,
Quando sair o livro avise, por favor!
Tudo o que diz respeito às minhas ilhas me interessa.
Vá dando notícias.
Abraço

LuCe disse...

Elisabete,

Depois dou notícias!

Abraço.

Moira Encantada disse...

"espere sentado
ou você se cansa. Está provado:
quem espera nunca alcança"...

(Chico Buarque, Bom Conselho